Com 25 exposições feitas por todo o Brasil, é a primeira vez que o artista se apresenta em São Paulo.
A curadoria é de Jussara Martins

ABACH convida para exposição na Casa da Fazenda do Morumbi

São Paulo, 14 de março de 2014 - A Galeria de Arte da Casa da Fazenda do Morumbi, inaugurada em dezembro passado para valorizar ainda mais as exposições recebidas pelo polo cultural incrustado no nobre bairro do Morumbi, em São Paulo, abre suas portas de 3 a 27 de abril, para mais uma exposição gratuita. “João Machado – O Reformista” é  o tema da mostra que reunirá 50 óleos de lugares e pessoas retratadas pelo paranaense conhecido entre os seus como “o pintor das cidades”. A exposição é a 26a. do artista, e se propõe a divulgar o Projeto Êxodo, programa social supragovernamental que João Machado criou e ao qual vem dedicando toda sua vida.

O convite para expor na Galeria da Casa da Fazenda do Morumbi partiu da curadora da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH), Jussara Martins: “Quando vi seu trabalho, percebi muita ingenuidade e pureza. Sem ser naif, sua arte revela um acadêmico puro”, disse. Esta é a primeira vez que João Machado se apresenta na capital paulistana.  No momento, 50 de suas telas com o tema “Favela e suas reformas urbanas e agrárias do Brasil” encontram-se em exposição no Plano Piloto de Brasília; em maio, o artista segue com seus trabalhos para o Jockey Clube de São Paulo, e, em setembro, para o Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. Em outubro, está prevista uma exposição no Carrossel du Louvre, na França, patrocinada pelo Instituto Êxodo, instituição que tem por objetivo divulgar e disseminar as ideias do projeto social de mesmo nome. O acervo do artista contempla mais de 2 mil telas, em 44 anos de trabalho, que podem ser adquiridas entre R$ 5 mil e R$ 20 mil.

Pintando o futuro

Mais que registrar o dia a dia da vida na roça, motivação inicial de seu trabalho quando, ainda adolescente, veio morar em São Paulo, João Machado se propõe a oferecer uma visão do que será o futuro nas terras em que vislumbra a criação de novas comunidades socialmente sustentáveis, mote do seu projeto social.  ”O homem sonha, vê a terra vazia e em sua mente ele desenha uma cidade”, diz. Então, o que era somente um risco na mente do artista, vai tornando-se realidade em comunidades inteiras empreendidas, com lindos bairros e cidades, cheias de flores, de pessoas trabalhando e crianças brincando. “É o resgate do conceito de Querência com o qual cresci, ou seja, o amor ao lugar onde nascemos e vivemos.  É ainda o fruto de pessoas empreendedoras, que trabalham”, disse. Para ele, pintar por si só não tem grande valor; “um quadro tem valor se tiver algo mais, história. Por isso eu chamo meus trabalhos de visão espacial”, complementa.

Visitação educativa

Para as escolas das redes públicas e privada, a visita orientada pode ser marcada diretamente na ABACH,  com Jussara Martins, pelo telefone (11) 3742-2810, ou pelo e-mail jussaramartins@abach.org.br. “Se conseguirmos uma classe por dia de exposição, terei cumprido com minha intenção de mostrar a este público que existem alternativas dignas de resgatar o ser humano de condições precárias de vida, dando-lhe moradia, trabalho, saúde e dignidade – para si e toda sua família”, deseja João Machado.

SERVIÇO:

Galeria da ABACH – Academia Brasileira de Arte, Cultura e História
Vernissage: 3 de abril, das 20h às 23h (para convidados)
Visitação: 3 a 27 de abril
Horário: de terças aos sábados, das 11h às 18h
Entrada Gratuita, Estacionamento gratuito no local
Local: Casa da Fazenda  do Morumbi
Avenida Morumbi, 5594 -  Morumbi, São Paulo (entre o Palácio do Governo e a Ponte do Morumbi) – Tel.: (11) 3742-2810
Visitas orientadas: marcar com Jussara Martins (11)  3742-2810, ou pelo e-mail jussaramartins@abach.org.br.

Sobre João Fernandes Machado: João Machado nasceu em Carlópolis, no Paraná, em 1952. Lá viveu até os 16 anos, em um rancho de sapé, com os pais e mais sete irmãos (sendo duas meninas), de onde veio a consciência de “cidadão de segunda classe”.  Devido a um acidente em família, mudou-se para São Paulo. Para sobreviver, trocava desenhos por um prato de comida na Praça da República e no Embu das Artes. Graças a uma encomenda feita pela dona de uma imobiliária, entrou para o ramo da construção.  Com viés empreendedor social, Machado tem dedicado os últimos 45 anos de vida à criação e expansão de seu Projeto Êxodo.  As pinturas decorrem da visão espacial que tem de seus projetos a futuro. Ao todo, são mais de 2 mil telas a óleo, trabalhadas em uma média de 20 por mês. Com a exposição na Casa da Fazenda, Machado realiza seu tento de expor, pela primeira vez, em São Paulo, e completa 26 exposições.

Sobre a Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH): Fundada entre as décadas de 50 e 60 por Afrânio de Mello Franco, José Honório Rodrigues, Luiz da Câmara Cascudo e Dante Laytano, inicialmente com foco exclusivo para os interesses da história da Pátria, a Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH) possui a outorga dos direitos do uso da Casa da Fazenda do Morumbi como polo cultural, graças ao seu trabalho desenvolvido em prol da cultura, mas também a credibilidade de sua capacidade de resgatar importante marco da história de nossa cidade. Promover a arte e novos talentos, organizar novas exposições e abrir espaço para divulgar a cultura e história brasileira é a missão da Academia, que tem José Maria Braggion na Presidência e Jussara Martins na curadoria. Para mais informações, visite o site da ABACH, clicando aqui.

Sobre  a Casa da Fazenda do Morumbi: Construída em 1813, pelo regente do Império, padre Antônio Feijó, a Casa da Fazenda do Morumbi é uma verdadeira relíquia histórica no meio do bairro de mesmo nome. Seu terreno de 8 mil metros quadrados foi presente de D. João VI ao grande produtor inglês de chá, John Maxwell Rudge, que transformou a região do Morumbi na primeira fazenda de chá do Brasil. Em um amplo espaço com árvores centenárias, a casa mantém a elegância do estilo inglês da época, com móveis de influências napoleônicas. O local permite realizar eventos sociais e corporativos. Em dezembro de 2013, o espaço ganhou um local exclusivo para as exposições da ABACH, entidade mantenedora do local.

Foto de divulgação/ABACH

São Paulo, novembro de 2013 – Do próximo dia 3 a 21 de dezembro, a Casa da Fazenda do Morumbi apresenta a terceira exposição de Rorian Guimarães – um dos pioneiros da arte digital no Brasil, roteirista e diretor de vídeo. Intitulada “Sensações”, a exposição foi escolhida para inaugurar a galeria de arte que a Casa da Fazenda acaba de ganhar em comemoração ao seu bicentenário.

Ao todo serão  44 obras em desenho de retratos e paisagens, cuja forte expressividade levaram ao título da mostra. “Há ainda representações de rostos com camadas sobrepostas a maneira de máscaras. A proporcionalidade ou sua transgressão, a intensidade ou a diluição da cor, tudo é usado de modo a compor a emoção a ser transmitida”, comentou a curadora da mostra, a museóloga Vera Filinto, outra novidade na trajetória do artista, que já expôs duas outras vezes, a primeira em 2011 (“Expressões”) e no ano passado (12 Girassóis, um tributo a Johanna van Gogh), ambas também em São Paulo.

Tendo como característica marcante a aplicação do conceito de mimesis enquanto simulacro,  os desenhos expostos, alguns inéditos, outros de exposições passadas,  terão ainda, referências, apropriações e releituras de outros artistas, como é o caso de Vincent  Van Gogh, em seus “12 Girassóis” da exposição do ano passado. De acordo com Vera Filinto, “a opção pela apresentação deles lado a lado visa a aproximar universos particularizados, permitindo uma fruição diferenciada. Se de forma individual o girassol se impõe, em conjunto sua força se amplia. E, também dessa forma, se evidenciam as referências aos campos de girassóis de Van Gogh”.  A exposição “Sensações” conta com o apoio de Dolce Gusto da Nestlé e da Presença Propaganda.

Quem é Rorian Guimarães

Carioca de nascimento e criado em São Paulo, Rorian Woelpl  Guimarães estudou Engenharia e Análise de Sistemas na FAAP. Começou aliar arte à tecnologia ainda antes do final de seu curso, tornando-se um dos pioneiros da arte digital no Brasil. Roteirista e diretor de vídeo, criou,  em 1987, com o irmão Julian Woelpl Guimarães e Andre Michel Descombes, a exposição inédita e de vanguarda mundial “FRACTALS, a Realidade do Inimaginável”.  A mostra, contendo 26 obras foi apresentada no Museu da Imagem e do Som de São Paulo, no Museu de Arte Brasileira da Fundação Armando Alvares Penteado, também em São Paulo, e no Museu de Arte Contemporânea (MAC), em Campinas.

Em 2010, lançou a “ART GRAPHITE”, mostra virtual em forma de aplicativo (App), com 21 obras e acesso exclusivo pelo iPhone e Ipad. A mostra continua na loja da Apple (clique aqui) e já teve mais de 2 mil downloads, a maioria na França e nos Estados Unidos, e cerca de 7,5 mil views. Em 2011, fez sua primeira exposição solo, na Gallery, do shopping D&D da capital paulistana, intitulada “Expressões”. De 3 a 10 de novembro, o público pôde ver um scrapbook, com 34 trabalhos dispostos em um booklet,  acompanhado de um vídeo sobre as obras, e a exposição de outros 17 trabalhos, além de dois outros vídeos mostrando a primeira fase do trabalho em papel de Rorian, elaborada com grafite, até a fase em que ele faz a transposição das suas nuances para as cores, com a técnica do pastel seco, aumentando a área das peças. No ano seguinte, Rorian realizou, no mesmo espaço Gallery, a exposição intitulada “12 Girassóis, um tributo a Johanna van Gogh”, com 30 trabalhos em carvão, grafite, pastel seco e pastel óleo, divididos em três séries; a dos Girassóis, das Marquesas e das Expressões.

Hoje, o acervo do artista supera os 1.000 trabalhos e ele foi um dos selecionados para expor no tradicional Salão de Artes Plásticas do Rio de Janeiro (no Clube Militar), em sua 61a. edição, que acontece até o dia 29 de novembro, de 2a. a 6a. feiras, das 12h às 17h.  A entrada lá também é franca.

Sobre a Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH):

Fundada entre as décadas de 50 e 60 por Afrânio de Mello Franco, José Honório Rodrigues, Luiz da Câmara Cascudo e Dante Laytano, inicialmente com foco exclusivo para os interesses da história da Pátria, a Academia Brasileira de Arte, Cultura e História (ABACH) possui a outorga dos direitos do uso da Casa da Fazenda do Morumbi como polo cultural, graças ao seu trabalho desenvolvido em prol da cultura, mas também a credibilidade de sua capacidade de resgatar importante marco da história de nossa cidade. Promover a arte e novos talentos, organizar novas exposições e abrir espaço para divulgar a cultura e história brasileira é a missão da Academia, que tem José Maria Braggion na Presidência e Jussara Martins na curadoria. Para mais informações, visite o site da ABACH, clicando aqui.

Via Visual Loop

Passado o Congresso Mega Brasil de Comunicação 2012, é a hora de fazer um balanço do que foram os três dias, 35 palestras e sete conferências, curso, premiação e lançamento, com mais de 600 inscritos e 1000 pessoas circulando pelo evento realizado pela Mega Brasil de Comunicação,  em São Paulo, de 29 a 31 de maio.
Ao final do evento, na sessão intitulada Crème de La Crème, o diretor da empresa, Eduardo Ribeiro, comemorou o acerto na adição de mais um congresso ao evento guarda-chuvas, ao informar um recorde de 90% de aceitação sobre os temas escolhidos e apresentados durante os três dias de atividades.
Assim, parece que a tag #congresso4em1 vai permanecer para reforçar alguns aspectos da comunicação corporativa de vanguarda, que ficaram bastante claros durante o evento:
  • Já existe e deve ser perseguido o equilíbrio necessário entre o jornalismo do breaking news e aquele que nos remete à reflexão;
  • Storytelling e midias sociais não são tendência, mas realidade. Com foco no conteúdo narrativo, na história e nos valores das organizações, é certo que a internet via redes sociais e novas tecnologias deixaram de ser técnicas para se transformar em ambientes de conversação entre marcas e pessoas.
  • O mercado de comunicação corporativa está em pleno processo de DR – discussão da relação – internamente, nas empresas, e é preciso que os profissionais tenham respaldo de suas empresas e do mercado, quanto a um processo de educação permanente, que os torne mais capazes de lidar com a nova realidade do mercado.
  • A diversidade do tratamento dado aos vários componentes comunicacionais do momento na internet requer distinção e e atuação de acordo com as midias digitais, e aí entram as redes sociais, os portais de noticias e os portais corporativos.  É preciso que todos atuem de forma harmoniosa com a estratégia institucional da empresa, mas, sobretudo, com a dinâmica das ferramentas de busca, o conceito de palavras-chave e de relevância de conteúdo – ou seja, o algoritmo do Google e o conceito de SEO, search engine optimization.
  • Se no ano passado as mídias sociais despontaram como desafio, este ano, o evento resumiu a mudança inexorável na interação entre marcas e consumidores de informação e, como mantra, repercutiu o bordão já conhecido das mídias sociais, para que as empresas entendam de uma vez por todas que estamos em épocas de ouvir mais e falar apenas o necessário.
  • E esta questão envolve ainda o público interno da corporação, ele mesmo o primeiro cliente/consumidor de cada marca.
No momento em que 91% dos internautas do mundo inteiro e 80% dos internautas do Brasil usam diariamente as mídias sociais, a fase do “se vamos entrar” é passado. O momento é de estar lá e sabendo como agir. Porque, como frisou Gil Giardelli, em sua conferência, “sua empresa ou marca é o que você compartilha, em  conteúdo e valores”. E você vai conversar melhor se parar para ouvir. O sussurro é novo grito do séc. 21″, disse. E, ainda, porque somos seres cíbridos, como falou Graça Taguti, simultaneamente on e offline, devemos pensar em convergir as várias comunicações institucionais considerando esta realidade, com todos os departamentos ligados à comunicação corporativa trabalhando integrados ou, no mínimo, interconectados.
Os desafios para o mercado neste século XXI são inúmeros e nunca foi tão importante estudar, ouvir e planejar para obter resultados condizentes com a era 3.0.  Exemplos de sucesso de marcas que estão conseguindo estabelecer o diálogo com seus públicos não faltaram e mostraram que não apenas as empresas, mas autarquias e entidades governamentais estão abraçando a causa. Alguns deles estão lá no Jornal da Comunicação Corporativa em pequenas matérias feitas pela equipe de cobertura online, coordenada pela nossa diretora Vany Laubé. Elas não chegaram a entregar o ouro mas podem ser um bom ponto de partida de contatos para benchmarking na área, quem sabe?

Versão online permitirá atualização constante do mercado

Pesquisa feita durante confecção revela crescimento do mercado e nascimento de nova categoria de profissional de comunicação: o consultor

Solenidade de lançamento acontece no segundo dia do 15º Congresso Mega Brasil de Comunicação 2012, com conferência de Ricardo Gandour.

São Paulo, 24 de abril de 2012 – Um dos destaques do segundo dia do Congresso Mega Brasil de Comunicação, que a Mega Brasil Comunicação realiza de 29 a 31 de maio no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, será o lançamento do Anuário Brasileiro da Comunicação Corporativa 2012. A publicação tem a coordenação editorial da jornalista Maria Helena (Lena) Miessva, com apoio da Abracom – Associação Brasileira das Agências de Comunicação e Aberje – Associação Brasileira de Comunicação Empresarial, além da colaboração da Maxpress. Na ocasião, o jornalista e diretor de conteúdo do Grupo Estado, Ricardo Gandour, presidirá uma conferência sobre “O hoje e o amanhã no jornalismo brasileiro”, seguida de coquetel.

Edição online

Com tiragem de cinco mil exemplares impressos, a maior parte destinada a executivos de comunicação corporativa e marketing do setor privado, titulares das áreas de comunicação do Serviço Público (federal, estaduais e municipais, dos Três Poderes), diretores de agências de comunicação e jornalistas de diversas editorias dos principais veículos de comunicação do País, o Anuário Brasileiro da Comunicação Corporativa 2012 traz como novidade a criação de uma versão online de seu conteúdo. “Lançamos oficialmente o site do anuário em janeiro, por onde as agências de comunicação puderam se inscrever gratuitamente e integrar nossa pesquisa de desempenho. Estes, por sua vez, ajudaram-nos a compor os indicadores setoriais de 2011 e as perspectivas para 2012, como parte do conteúdo editorial”, explicou Lena Miessa. São eles: Áreas de Comunicação Corporativa de Empresas e Instituições Fornecedores de Produtos e Serviços de ComunicaçãoConsultores em Comunicação Corporativa; e Quem Atende Quem em Assessoria de Imprensa.

A edição impressa, que será entregue a todos os participantes do Congresso Mega Brasil de Comunicação 2012, contempla reportagens, indicadores setoriais, ranking das agências de comunicação e a seção Destaque, que reúne os anunciantes.

Retrato de uma classe

Já em seu terceiro ano como coordenadora editorial do produto, Lena Miessva conta que o anuário é a primeira iniciativa realizada para mapear o mercado da comunicação corporativa, seu real tamanho, ou o tamanho mais próximo que o representa na economia brasileira.  Sem falar em números, Lena Miessva adiantou que notadamente nos últimos dez anos cresceu bastante o número de novas agências. “Hoje, são quase 600 no Brasil todo, com maior atuação no eixo Rio-São Paulo. Destas, mais da metade respondeu à nossa pesquisa, como tendo sido fundadas entre 2000 e 2010 e ou geradas a partir de fusões ou compra por agências multinacionais”, complementou, revelando, ainda, que o amadurecimento do setor de comunicação corporativa já aponta para a criação de uma nova categoria profissional que é a do consultor. “Este profissional traz uma bagagem de conhecimento e experiência e ele está optando por este modelo de negócios”, disse.

Podem participar da noite de lançamento do Anuário Brasileiro da Comunicação Corporativa 2012 os inscritos no 15º Congresso Mega Brasil de Comunicação e convidados. O evento tem como principais patrocinadores a Embraer e a GM, além de o apoio de importantes marcas como Ambev, Iveco, Bayer, Banco do Nordeste do Brasil, Bradesco, Boehringer Ingelheim, Itaú, Mc Donald’s e Unimed-Rio. As principais agências de comunicação do País também estão entre os patrocinadores do evento, como Andreoli MS&L, CDI, CDN, FSB, Grupo TV1, In Press Porter Novelli, Ketchum, Máquina PR, Ogilvy PR, Planin, RP1, S/A Comunicação, S2 Publicom e Textual.  As inscrições podem ser feitas pelo hot-site do evento, com novidades também divulgadas pelo  blog, twitter e Facebook.


Posts mais antigos »